Descubra O Que Fazer em Buenos Aires em 3 Dias

Vamos conhecer um pouco sobre Buenos Aires!

De vez em quando, andar pelas ruas de Buenos Aires pode ser meio surreal.

De uma igreja russa ortodoxa do tipo “Kremlin”, seguindo até o Parque Lezama em San Telmo, depois para a “pretensiosa” mesquita próxima ao famoso campo de Palermo… Não importa em que parte da cidade você esteja – a maneira mais fácil e mais agradável de conhece-la é mesmo… andando.

Esta cidade portuária, cheia de energia e sedução, se estende do Sul ao Norte pelo Rio de la Plata. Buenos Aires tem sido a principal porta de entrada para a Argentina há vários séculos.

Também conhecidos como “portenos”, os cidadãos de Buenos Aires têm uma identidade cultural diversa e interessante.

Buenos Aires

 

Variedade arquitetônica e cultural.

Os portenos valorizam sua herança italiana e germânica mais do que a hispânica. Sua arquitetura e estilo de vida têm marcas europeias significativas.

Os portenos se envolvem de maneira intensa na vida cultural de Buenos Aires. Em geral, adoram contar segredos sobre a cidade aos interessados.

A cidade é um mosaico tão complexo quanto é a sua cultura. Não há um único monumento realmente dominante que sirva de sua referência. Ao contrário, ela é composta de vários lugares pequenos, detalhes íntimos, e de pequenos eventos e interações – cada um com sua sombra, forma e característica totalmente diferentes.

No distrito de San Telmo, a herança multinacional da cidade está encorpada numa variedade de arquiteturas cosmopolitas. Estilos coloniais espanhóis, com alguns detalhes italianos, se misturam ao clássico francês.

No La Boca, suas pequenas casas pintadas nas cores do arco-íris e seus murais coloridos transformaram o bairro numa avenida de multicores.

Por toda a sua diversidade, a Argentina encontra-se, em todas as suas formas, na cidade de Buenos Aires.

A dança nacional, o tango, talvez seja a melhor expressão.

É muito fácil assistir tango sendo praticado nos vários salões de dança, como também nos parques, jardins e praças públicas. Esta é uma dança que combina, tanto uma reserva elegante quanto uma paixão exuberante; talvez a melhor tradução desta cidade.

 

Quer “sobreviver” a noite de Buenos Aires? Então veja essas dicas:

Preparação física e mental é essencial!

O chimarrão passa, de mão em mão, nos parques da cidade. Carregado de cafeína, o chá-mate; não só mantém os portenos “acesos” durante o dia e a noite toda, como também inibe o apetite.

Não perca a “merienda”! Pense nela como um “happy hour”, mas com comida. Qualquer esquina em Palermo você encontra um merienda servindo café – outra chance de ingerir cafeína e de comer alguma coisa antes do jantar (por lá, somente “yankies” (gringos) jantam antes das 21h).

Carne é, sem dúvida, a melhor opção para jantar em Buenos Aires. A partir das 23h, o portenos começam a chegar nos bares para um “pré-aquecimento”, antes de sair.

A noite progride, naturalmente, para sair e dançar. A hora de pico é lá pelas 2 da manhã, quando os portenos migram para as boites, ou “boliches” como chamam. Antes, disso, também é muito comum que combinem de se encontrar na casa de alguém do grupo para um “pregrame” ou “preboliche” – o mesmo que nosso “esquenta” por aqui.

La Boca - Buenos Aires

Se o cansaço, em algum momento, começar a bater: tome uns goles de Speed – uma versão local do Red Bull, principal combustível dos portenos da noite. E não se assuste quando seu celular te disser que já são 6 da manhã. Ninguém vai pra casa antes das cinco mesmo!

Feche as cortinas e desligue o alarme – seja honesto: você não vai se levantar mesmo antes das 2 da tarde! Os portenos não vão julgá-lo mal por isso. Quando você, finalmente, se levantar; antes de sair procure dar uma incrementada no seu visual. Portenos sempre dão um jeito de estarem bem arrumados e bem descansados.

No mais, vale conferir: os portenos são “buena onda” (gente boa)!

Veja aqui outros lugares interessantes para sua próxima viagem >>> Conhecendo Novos Lugares

Participe! Comente aqui: